Histórias Curtas

Como forma de exercitar a imaginação, a criatividade e a escrita, de vez em quando produzo histórias curtas, para me divertir. Aqui elas estão reunidas por data de publicação, com um breve resumo.

vintage-typewriter-3

Encontros, desencontros e encontros

Há algum tempo, tive uma experiência curiosa de adotar um cachorro, perder o cachorro e achá-lo de novo em menos de uma semana. Tudo isso bem improvável e surpreendente, no mínimo peculiar. Pude sentar e escrever sobre isso, fazendo uma espécie de diário de como tudo aconteceu na minha perspectiva. Pode lhe interessar.

Quem abre os braços sou eu, quem chuta a bunda é você

Trabalhei pouco tempo com atividades de recursos humanos em empresas privadas, antes de ser abduzido pelo serviço público. No entanto, o pouco que trabalhei me rendeu algumas ilustrações interessantes da capacidade do ser humano de perverter o sentido de uma profissão: no caso, o psicólogo organizacional.

O destino dos indesejados

Morcegar vem do latim Morcegus e diz da arte de passar o dia de trabalho inteiro passeando ou fazendo coisas não relacionadas com as suas atividades, produzindo exatamente nada.

Eduardo e a bexiga

Não era de hoje que o rapaz queimava neurônios refletindo sobre o assunto. Por que, diabos, alguém supôs, em algum momento da história ocidental, que homens gostariam de urinar enfileirados paralelamente, como em um ritual sagrado de satisfação fisiológica coletiva? Para Eduardo, isso não fazia sentido.

Cão autônomo em fuga

Impossível negar que sempre soubera que algo estava errado e que seus donos nem sempre gostavam de tê-lo por perto. Mas dessa vez era demais, o deixavam sozinho uma noite inteira e nem um biscoito ganhara. Era isso, ia arrumar suas coisas e partir.

Indignações menores

Foi então que, de súbito, percebi um pequeno desejo, uma ligeira vontade surgir, um lampejo de indignação ao observar uma das traquinagens do pequeno humano logo à minha frente. A criança se satisfazia ao tentar tirar com as suas unhas e pequenas mãozinhas um adesivo informativo colado na janela do ônibus.

Desde quando as estrelas mudaram de lugar

Ver estrelas no céu é universal, acessível e gratuito e, todas as pessoas, em algum tempo da vida, têm um momento particular com elas. Momento íntimo de diálogo interno, assim como alguns têm com a lua, com o mar, o nascer ou o pôr do sol, algo sagrado, natural. Pode parecer bobagem, mas não é.

Descuido inevitável

Se desse um pequeno pulo hoje em dia, pensava, com certeza quebraria uma perna ou deslocaria um músculo. Medo, maldito medo… Pior do que esquecer de brincar ou correr, era ter medo de fazê-lo.

Gol perdido

Marco Antônio acordou assustado. O suor e o cabelo amassado lhe davam a certeza de que estava atrasado. “Mais uma vez, não” – pensou. Havia programado cinco despertadores com horários alternados, respectivamente: 06:10, 06:13, 06: 15, 06:18 e 06:30. O objetivo era tentar contornar os perigosos poderes da função “soneca” do seu celular e, obviamente, sua própria preguiça.

Hipopótamo saudável

Como um pão de queijo de ontem, esquecido na sacola da padaria, Osvaldo se sentia velho, murcho e sem esperanças. Havia descoberto dois dias atrás que estava sendo traído por sua esposa e que todos os seus amigos e familiares já desconfiavam do caso, no entanto, preferiram não meter a colher na vida alheia e nada disseram.

Anúncios

Quero saber a sua opinião. Deixe o seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s